FUNDAÇÃO LUSÍADA

CENTRO UNIVERSITÁRIO LUSÍADA - UNILUS

PORTAL DE NÚCLEOS ACADÊMICOS DE ESTUDOS E PESQUISAS - NAEPs

Terça-feira, 10 de Dezembro de 2019

NÚCLEO ACADÊMICO DE ESTUDOS E PESQUISAS EM

Hematologia e Hemoterapia

Última atualização em 20/12/2017 16:02:25

Apresentação


O NAHH tem como objetivo a realização de pesquisa científica em Hematologia e Hemoterapia; introduzir novas linhas de pesquisa na área; incentivar os discentes à pesquisa clínica e científica; salientar e fornecer maior visibilidade na atuação da área de Hematologia e Hemoterapia, no que se refere à pesquisa e sua aplicabilidade na saúde coletiva. Desde sua criação, são realizados trabalhos de iniciação científica e de conclusão de curso, sendo que a maioria é publicada em anais de eventos científicos em nível nacional. Desde o ano de 2011 são apresentados trabalhos no Congresso Brasileiro de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular.

Docente Responsável


Linhas de Pesquisa


ANTÍGENOS PLAQUETÁRIOS (HPA)

As plaquetas possuem em sua membrana receptores formados por glicoproteínas, cada uma com sua função. Porém essas glicoproteínas podem sofrer polimorfismos, formando então os antígenos plaquetários humanos (HPA). Clinicamente, esses antígenos possuem importância pois pede levar o paciente a três manifestações clínicas devido a incompatibilidade HPA, como a púrpura pós-transfusional; trombocitopenia aloimune-neonatal; e refratariedade transfusional.

CONTROLE DE QUALIDADE EM SERVIÇO DE HEMOTERAPIA

Todo serviço de hemoterapia deve ter um sistema de qualidade que promova a garantia do sangue a ser transfundido. O CQ tem início desde a captação do doador; sua triagem clínica; coleta da bolsa; realização dos exames sorológicos, moleculares e imunohematológicos; fracionamento do sangue; estocagem; até a transfusão do hemocomponente. Os parâmetros avaliados são estipulados e obrigatórios segundo a legislação vigente.

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL DOS PRINCIPAIS TIPOS DE ANEMIA

O exame inicial no diagnóstico laboratorial das anemias é o hemograma. A partir de um hemograma criteriosamente realizado, leva a indicação de exames específicos para um diagnóstico preciso da anemia, como por exemplo uma eletroforese de hemoglobina, exames bioquímicos específicos, até mesmo a necessidade de realização de um mielograma; tudo isso garante um tratamento correto e adequado do paciente.

DOENÇAS EMERGENTES TRANSMISSÍVEIS PELO SANGUE

Algumas doenças não triadas em bancos de sangue podem surgir como epidemias regionais, necessitando de um rápido suporte para não ocorrer a transmissão via transfusão sanguínea. Como por exemplo os casos comprovados de transmissão de arboviroses emergentes via transfusional, comprovadas cientificamente, como dengue, zika vírus, febre amarela e chikungunya.

DOENÇAS TRANSMISSÍVEIS POR TRANSFUSÃO SANGUÍNEA

Estudo das doenças transmissíveis por transfusão e métodos sorológicos e moleculares para detecção dessas doenças. Bem como doenças emergentes não triadas rotineiramente em Bancos de Sangue e que são transmissíveis, como parvovírus B19, arboviroses.

HEMOTERAPIA

O objetivo da linha de pesquisa em hemoterapia é estudar o uso do sangue e seus componentes como forma terapêutica. Além da avaliação do uso racional e indicação dos hemocomponentes e hemoderivados. Toda transfusão leva a um risco, seja imediato ou tardio, por isso devemos analisar as reações transfusionais e como evitá-las.

IMUNOHEMATOLOGIA

O objetivo da linha de pesquisa em imunohematologia é o estudo dos antígenos eritrocitários como forma de compatibilidade entre doador e receptor, causa de Doença Hemolítica do Peri Natal; bem como as técnicas aplicadas para detecção e identificação de antígenos e anticorpos. Além de suas características fisiológicas e funções biológicas. Há descrição de mais de 300 antígenos eritrociários agrupados em 36 sistemas de grupos sanguíneos.

INDICAÇÃO E USO CLÍNICO DOS HEMOCOMPONENTES E HEMODERIVADOS

Toda transfusão de sangue traz um si um risco, seja imediato ou tardio, devendo, portanto deve ser criteriosamente indicada. A indicação terapêutica de um hemocomponente ou hemoderivado, tem início com a patologia de base do receptor. Dependendo da patologia, o sangue e seus componentes tratarão de forma paliativa o paciente. Esta linha de pesquisa visa correlacionar a necessidade do paciente com o tipo de tratamento hemoterápico indicado.

MÉTODOS DIAGNÓSTICOS DE DOENÇAS ONCOHEMATOLÓGICAS

O estudo de métodos precisos de diagnóstico correto das doenças oncohematológicas estão e m constante evolução. Segundo a OMS, em 2016, foi realizada uma nova classificação das doenças oncohematológicas. Essa classificação utiliza primordialmente os resultados dos testes laboratoriais, como a imunofenotipagem, a citogenética, colorações citoquímicas, dentre outros exames.

SISTEMAS DE GRUPOS SANGUÍNEOS

Estudo sobre os sistemas de grupos sanguíneos descritos na atualidade, como suas funções e estímulo do sistema imunológicos. Importância clínica e suas implicações como fator de compatibilidade em transfusões sanguíneas, transplantes de órgãos sólidos e no transplante de célula tronco hematopoética. Envolve também os estudos na discrepâncias nas tipagens ABO e Rh e como solucionar

TESTES PRÉ-TRANSFUSIONAIS

A transfusão sanguínea leva a um risco de ocorrer reações transfusionais. As reações hemolíticas podem ser evitadas com a realização e aplicação metodológica corretas. Desta forma, a padronização dos testes pré-transfusionais de acordo com a legislação vigente, visa a proteção do receptor no que se refere a compatibilidade sanguínea entre ele e o doador. O estudo do emprego das técnicas e a padronização tem como objetivo aprimorar o processo transfusional.

TRANSPLANTE DE CÉLULA TRONCO HEMATOPOÉTICA (TCTH)

O TCTH, também conhecido como Transplante de Medula Óssea, muitas vezes torna-se a única solução de cura em pacientes oncohematológicos. Existem três tipos de TCTH, o autólogo, o alogênico e o singênico. As céulas tronco hematopoéticas podem ser recrutadas a partir de punção de medula óssea, através de sangue periférico ou por meio de cordão umbilical. Nesta linha estuda-se o tipo de TCTH mais indicado em cada situação, bem como a resposta do paciente após o TCTH.

Atendimento


Centro de Saúde Escola
Terças-feiras, das 14:00 às 17:20

Centro Universitário Lusíada - Campus III
Rua Doutor Batista Pereira, 265
Macuco - Santos (SP) - Brasil
11015-101

Centro de Saúde Escola
Quartas-feiras, das 14:00 às 17:20

Centro Universitário Lusíada - Campus III
Rua Doutor Batista Pereira, 265
Macuco - Santos (SP) - Brasil
11015-101

Contato


CAPTCHA image

Desenvolvido por
NAEPGET - Núcleo Acadêmico de Estudos e Pesquisas em Gestão, Educação e Tecnologia (CNPq | UNILUS).
© 2019 UNILUS - Centro Universitário Lusíada. Todos os direitos reservados.